Um caderno, uma memória e uma redoma de acrílico: conheça a história da Karla!

A proposta da Centauri Acrílicos é muito simples: criamos peças em acrílico. Algumas personalizadas, outras não. Algumas são produzidas em grandes quantidades, outras não. Algumas são apenas ótimos acessórios, móveis ou organizadores em acrílico, esse material que já conhecemos tão bem. Outras são muito mais que isso!

No post de hoje, resolvemos falar num tom diferente, algo que nunca fizemos antes em nosso blog. Vamos contar a história de um produto que fez a diferença na vida de uma cliente e marcou a nossa equipe! Fique conosco e conheça a história da Karla, seu caderno precioso e a forte ligação entre pessoas através do tempo, capaz de superar barreiras. 

Uma redoma: proteção, cuidado, afeto

A Karla é apaixonada por design de interiores e decoração. Sua paixão virou profissão, e depois virou projeto. Foi assim que nasceu o instagram Casa à Vontade, o espaço em que ela discute decoração otimizada, organização e dicas acessíveis. Foi por lá que ela contou ao mundo sua experiência com a Centauri Acrílicos – e a sequência de stories ainda está disponível nos destaques, vale a pena conferir e se emocionar com a gente! 

Essa história começa quando ela tinha apenas 6 anos. Seu avô, hoje já falecido, deu de presente à neta um objeto simbólico, cheio de afeto. Era seu caderno de escola, que vinha acompanhado de uma dedicatória. Com aquele livro tão pessoal e tão importante, no qual ele aplicara tanto esforço quando criança, queria mostrar à Karla o quão próximos e parecidos eles poderiam ser. Os dois, de fato, compartilharam um afeto raro pelo tempo em que estiveram juntos. 

O objeto foi guardado com cuidado ao longo dos anos. Ao realizar uma mudança de apartamento, Karla decidiu homenagear o avô colocando o seu caderno de escola em exposição, como uma das partes mais especiais da decoração da sua sala de estar. Para isso, escolheu uma redoma de acrílico. Nada poderia ser mais simbólico: uma redoma, uma proteção, para conservar com afeto e, ao mesmo tempo, mostrar ao mundo aquele item precioso, frágil e amado. Ninguém quer perder sua melhor memória, não é mesmo?

A perda, o passado e o presente

Os escolhidos para esse projeto fomos nós, da Centauri. Essas ideias nos motivam a criar, e foi com esse espírito que entramos em contato com a Karla para desenvolver o melhor produto possível. Em pouco tempo recebemos o caderno, desenvolvemos o projeto, construímos a redoma e juntamos todas as peças do quebra-cabeça. Pronto: o objeto que Karla tanto estimava estava protegido em sua redoma, pronto para ser exibido. Era só esperar a chegada do presente.

Criança com flores nas costas indo em direção a sua avóFoi nessa viagem que Karla se separou da sua principal lembrança do seu avô. A demora na chegada era suspeita, e nossa equipe não mediu esforços em descobrir o que havia dado errado nesse carregamento, cuja responsabilidade era dos Correios. Após inúmeras tentativas de contato, soubemos que a carga havia sido roubada

Karla descreveu como se sentiu com a notícia. Não conseguia compreender a ironia de ter perdido para sempre um objeto tão valioso para si, e que não possuía valor algum para mais ninguém. Um simples caderno de escola, velho e rasgado, teria sido completamente ignorado por aqueles que roubaram os itens da carga. Para ela, era a coisa mais importante de todas: sua conexão com um passado que não volta mais

Nossa equipe também sentiu essa perda. Nos comovemos com a dor da Karla e sabíamos que, apesar de não ter sido uma falta nossa, deveríamos agir de alguma forma – afinal, nossos clientes são pessoas, e as relações de confiança que estabelecemos em nossas entregas é sempre a principal parte do nosso trabalho. O que a gente não sabia é que esse segundo presente seria tão bem recebido!

Por acaso, lá estava ele!

Algum tempo depois, o Diogo, dono da empresa, encontrou a imagem escaneada da capa do caderno ao navegar pelos arquivos de trabalho. A foto havia sido usada nos estudos preliminares para o primeiro layout e, por um acaso, lá estava ele: o caderno do avô de Karla – ou ao menos uma memória, uma lembrança da lembrança.

Homem segurando criança de colo nos braços do lado de um lago

Imediatamente, sabíamos o que devia ser feito! Tentamos ao máximo reproduzir o objeto, criando uma nova redoma para este que seria o novo-velho caderno de Karla. No processo, reconhecemos que nada poderia substituir o que foi perdido, mas muito podia ser resgatado com um gesto de carinho.

Sabemos que o caderno original ainda está perdido em algum lugar, e talvez nunca seja encontrado. Mas também temos a certeza de que o original mesmo, aquilo que é real pra valer, é o sentimento que ainda une a Karla ao seu avô, mesmo através do tempo. Isso jamais será perdido. 

Os objetos e o tempo: muito mais que matéria

Como todo mundo que se relaciona tão intimamente com as cores, texturas e formas dos objetos, a Karla vê um pouco mais que matéria naquelas coisas do dia a dia, aqueles objetos inanimados que a maioria das pessoas toca e usa sem pensar muito. Para pessoas como ela, coisas podem guardar significado, comunicar ideias, evocar estados de espírito. 

Mulher com camiseta vermelha olhando para cima

Esse sentimento de conexão é ainda mais profundo quando esse objeto é compartilhado, quando essa parte da história de alguém é confiada ao mundo novo de uma outra pessoa. Os objetos herdados tem esse poder de traduzir o tempo, tornando palpável e estático tudo que é efêmero. Como a Karla, a gente entende esse poder que as coisas possuem

Para a Centauri, os objetos são parte da vida. É através deles que tocamos pessoas e facilitamos seu dia a dia. Como dissemos lá no começo, a proposta da Acrílicos Centauri é, de fato, muito simples. Mesmo assim, nunca foi vazia: tudo o que fazemos tem como origem o desejo de transformar realidades

Disso, nos orgulhamos muito!

Leave a Reply