Quem tem um cantinho de estudos em casa ou um escritório sabe o quão importante é a organização, seja para que o trabalho ou o estudo renda mais e para preservar todo o material. E um desses materiais principais é a caneta. Esse pequeno objeto permite que muitas palavras sejam escritas, contas sejam feitas e muito mais.

Mas você sabe como guardar canetas? Pois é, quem ama colecionar canetas ou usa muitas diferentes, já deve ter percebido como algumas delas simplesmente param de funcionar muito antes da hora, especialmente aquelas mais delicadas (e geralmente mais caras também). Existe um jeito certo para que você as preserve corretamente, assim elas não estragam e as tintas pegam por mais tempo.

A forma de guardar suas canetas pode fazer toda a diferença na vida útil delas, pois elas têm tipos de tinta e estruturas diferentes. Por isso, hoje preparamos algumas dicas para você conseguir ter mais proveito disso. Acompanhe o post para saber mais!

Como guardar diferentes tipos canetas? Acrílicos ensina!

O primeiro segredo para cuidar melhor das suas canetas é perceber como suas tintas têm densidades diferentes, e esse é o principal detalhe na hora de guardar suas canetas da forma correta. Se você não quer mais ter aquela grifa-texto secando antes da hora ou uma Stabilo colorida parando de funcionar do nada, precisa também organizar tudo certinho. Saiba como fazer isso com cada modelo de caneta:

1. Canetas esferográficas

Mais comuns e populares, é impossível não ter sempre uma caneta esferográfica por perto, perdida na gaveta ou em cima da mesa, não é? E já percebeu como elas costumam durar bastante e, mesmo quando param de funcionar, costuma ser apenas temporário?

O fato é que as canetas esferográficas têm uma tinta mais líquida que viscosa e sua ponta em esfera tem uma superfície grande, o que facilita o processo. Por isso elas raramente param de funcionar para valer, é mais fácil você perdê-la ou ela estourar do que parar efetivamente de funcionar.

Várias canetas em gel coloridas

Assim, o melhor é evitar qualquer tipo de pressão e guardar suas esferográficas, de preferência, deitadas ou com a ponta para baixo, diminuindo as chances de uma bolha de ar se acumular enquanto a tinta desce, caso a tivesse guardado com a ponta para cima.

Aliás, sabe o que faz as canetas esferográficas estourarem tanto? É que elas podem acumular pressão, seja através do calor ou da falta de regulação da pressão atmosférica (é por isso que elas têm aquele furinho na superfície). Então, se colocá-la no bolso por muito tempo, deixá-la exposta ao sol ou é utilizá-la por muito tempo seguido, a chance é que ela acabe acumulando tensão e estoure em algum momento.

2. Canetas em gel

As canetas com tinta em gel costumam ser as favoritas de muitos porque têm uma variedade enorme de pigmentos, escrita fluida, suave e brilhosa. Seu segredo é a tinta com base d’água. Os cuidados são parecidos com os da caneta esferográfica: mantenha a ponta para cima ou a caneta na horizontal.

Apesar de toda a sua beleza e variedade, as canetas com tinta em gel costumam ter uma vida útil menor. A tinta é mais viscosa e, por isso, é consumida mais rapidamente na escrita, além de a ponta ficar entupida ou o tubo acumular uma bolha de ar bem próxima da ponta, fazendo com que a tinta saia cada vez menos, até ficar inviável usar a caneta.

Aliás, se a tinta secar, perde sua viscosidade e já não escorre até a ponta, ou é a ponta que seca com uma crosta de tinta, isso acontece especialmente se forem deixadas sem tampa. Muitas vezes, não adianta esperar que ela volte a funcionar, mas sim dar boas sacudidas para que a bolha saia da ponta ou para que a tinta dê uma pequena misturada.

3. Caneta hidrográfica

As canetas hidrográficas são a categoria mais ampla, com marca-texto, canetinhas de colorir, canetas de marcar superfícies, escrever em lousas, enfim, das pontas mais finíssimas às mais espessas. Elas variam bastante, mas a estrutura básica envolve uma ponta de feltro e um tubo com material esponjoso que conserva a tinta.

Para guardar as canetas hidrográficas e conservá-las, é importante manter a tinta umedecendo tanto toda a extensão do tubo e a ponta, de forma que guardá-las deitadas é a forma perfeita. Mas você também deveria protegê-las da incidência excessiva do calor e da umidade, utilizando, por exemplo, gavetas de acrílico, que não aumentam a incidência de calor e protegem da luz, além de fazerem toda a diferença na organização do espaço.

As pontas de feltro são especialmente sensíveis a secar, então, devem permanecer úmidas sempre que possível. Mas a questão é que uma concentração muito saturada de tinta na ponta pode fazer com que elas acabem vazando, ou ficando com traço inadequado.

Tenha sempre uma caneta hidrográfica reserva, pois, com o excesso de uso, elas costumam falhar temporariamente, enquanto a tinta volta a se precipitar na ponta. Ainda, tenha suavidade com a ponta de feltro, ela é sensível e um manejo suave já é o suficiente para fazer bastante tinta.

4. Canetas de tinta

As canetas de tinta também são bastante sensíveis, especialmente à secagem, mas sua tinta é a mais líquida e fluida da lista, então você não terá os mesmos problemas das géis ou hidrográficas, pelo contrário, é justamente com o excesso de tinta na ponta que a caneta acaba perdendo sua tinta.

Como não há o risco da temida bolha de ar na ponta, você pode guardar suas canetas de tinta com a ponta virada para cima e, quando for usá-la, basta virar para baixo e esperar uns momentos, ou até dar uma pequena umedecida na ponta para que ela absorva mais rápido a tinta (mas bem suave, ok?). Suas canetas com tinta bem líquida devem ser guardadas com a ponta para cima, assim não perde a carga.

5. Canetas tinteiro

As canetas tinteiro não são iguais, afinal são materiais mais “nobres” fabricados de maneiras diferentes e em designs diversos, no entanto, a maioria necessita dos mesmos tipos de cuidados, como uso regular e limpeza, além da remoção do cartucho, caso ela vá ficar parada por muito tempo.

Além disso, é super necessário tampá-la após o uso, evitando que a tinta entupa na pena e seque. Depois, elas também precisam ser guardadas no estojo, assim duram mais tempo. Ah, e nada de expô-la ao calor, viu?!

Onde guardar as canetas? Dicas de organização essenciais!

Agora que você aprendeu jeitos de aumentar a vida útil de suas canetas, precisa saber quais são as opções de lugares para guardá-las, certo? Bem, um caneteiro ou organizador de mesa já é o suficiente para as canetas que ficam na vertical, ideais para mesas de estudos! Opções de organizadores em acrílico são super resistentes e permitem que você veja as cores de cada uma mais facilmente.

visão superiror de um cantinho de estudos

Já na diagonal, dê preferência a algo especializado para preservar seus conjuntos de canetas, como uma gaveteira com material resistente e com transparência, assim você evita calor excessivo e umidade e consegue organizá-las melhor por categorias.

E então, gostou dessas dicas de como guardar canetas? Elas vão durar muito mais tempo se você seguir esses pequenos cuidados. Bem, e se desejar acompanhar uma série de dicas funcionais para decoração e organização da sua casa, continue conosco semanalmente!

Deixe um comentário